Como a análise de dados tem sido útil para outros campos

dados sendo analisadosO estudo da análise de dados está ficando cada vez mais abrangente. Partindo de uma simples estrutura que avalia e classifica informações, a análise de dados se transformou no campo amplo do Big Data, que consiste na manipulação de grandes quantidades de dados visando a extrair insights e informações relevantes.

Atualmente, o conteúdo que verdadeiramente é analisado profundamente na internet é de menos de 5%. Todo o restante é desprezado pela dificuldade de tratamento (realmente, existe muito conteúdo inútil, e a dificuldade está exatamente no fato de se conseguir separar dados relevantes dos irrelevantes).

Paralelamente ao surgimento e crescimento do Big Data, outro ramo emergente ganhou muita força: o ramo da inteligência artificial!

A inteligência artificial restrita tem hoje dois principais campos de ação: o machine learning e o deep learning, campos de estudo que têm revolucionado a forma como interagimos com as máquinas. A robótica, por exemplo, está avançando a passos largos graças ao avanços desses campos.

Mas o machine learning também sobre do mesmo problema do big data: obtenção de grande quantidade de dados para tratamento. O aprendizado não-supervisionado, por exemplo, precisa de muitos dados para que o programa possa ser treinado repetidas vezes até atingir a perfeição.

Algumas estratégias no campo da inteligência artificial colaboram para a obtenção de melhores resultados, como as redes neurais convolucionais, que possuem inspiração biológica a partir de um campo receptivo e um mapa de ativação. Esse tipo de abordagem é muito utilizado no processamento de imagens, por exemplo.

Além da inteligência artificial, o processamento de dados também tem apresentado aplicações em tecnologias mais emergentes como o blockchain, que tem mostrado vantagens de processamento em diversos campos, principalmente no quesito autenticidade dos dados e validação da imutabilidade das informações via consenso (que pode ser via Proof of Work – PoW ou Proof of Stake – PoS). Essa tecnologia teve origem no protocolo do Bitcoin e depois passou a ser adotado em outros projetos como Ethereum.

O vídeo abaixo ajuda a compreender um pouco melhor a jornada da ciência de dados e quais serão os próximos passos dessa tecnologia: